O Buffalo News baixa as calças e pede desculpa à comunidade judaica por causa de uma caricatura

 
The Buffalo News drops its trousers and apologises to the Jewish community over cartoon
Cartoon de Adam Zyglis. The Bufalo News, 26 de dezembro de 2023

Bem, esta história, que pode ler aqui, tem um desfecho e, mais uma vez, chega ao fim com um jornal a baixar as calças.

O Buffalo News cedeu finalmente à pressão da comunidade judaica e pediu desculpa ao Chabad Center for Jewish Life e a outros grupos e membros da comunidade por ter publicado este cartoon de Adam Zyglis, tal como exigido pela comunidade judaica.

No seu pedido de desculpas, ilustrado com uma imagem de duas velas acesas sobre um fundo preto, destaca algo que considero ainda mais ridículo e retorcido: o libelo de sangue.

O libelo de sangue

O jornal relaciona a caricatura com o chamado"libelo de sangue", uma alusão a supostos rituais da Idade Média, considerando que hoje são citados como alegações anti-semitas e pelos quais os judeus são falsamente acusados de assassinar crianças cristãs, ou outros gentios, para usar o seu sangue em rituais religiosos.

Suponho que esta caricatura medieval tenha surgido porque algumas pessoas que escreveram para os meios de comunicação social andaram a bisbilhotar e inventaram uma ligação ao Holocausto, claro, e acabaram por encaixar tudo.

Agora, os criminosos insistem em apresentar-se como vítimas enquanto continuam a massacrar a população palestiniana. Desta vez, a limpeza étnica não é uma lenda dita "antissemita". Os mortos por Israel na Palestina são atualmente mais de 30.000, dos quais pelo menos 12.000 são crianças.

A estrela de David

Outro elemento que serviu para convencer os media a baixarem a cabeça e a ajoelharem-se foi a utilização da estrela de David. Aparentemente, continuam a acreditar que se trata de um símbolo intocável que só pode ser manipulado por Israel ao ponto de o colocar na sua própria bandeira. Mais uma vez, os símbolos nacionais e a sua elevação a sagrados sobrepõem-se à liberdade de expressão, como nas "melhores" teocracias.

Desta vez, pelo menos, a cabeça do cartoonista não rolou e as suas caricaturas continuam a ser publicadas no jornal. Já é alguma coisa.

Eis o texto do pedido de desculpas do The Buffalo News:

O Conselho Editorial: Um pedido de desculpas

"Uma caricatura política que publicámos a 26 de dezembro causou uma dor profunda a muitos judeus da nossa região e não só. Hoje compreendemos melhor porque é que essa dor existe e pedimos desculpa àqueles que magoámos.

A nossa falha deveu-se à falta de atenção à história e às nuances, não à hostilidade. É certo que a intenção da caricatura era controversa. Pretendia criticar o Presidente Biden por fazer muito pouco para conter Israel enquanto as mortes de civis em Gaza aumentavam. Mas utilizou imagens que incluíam caveiras, sangue e a Estrela de David. Não nos apercebemos de que seriam gatilhos para muitos judeus. Agora sabemos e percebemos porquê.

Pensámos que a estrela seria entendida como uma representação de Israel, mas não tivemos suficientemente em conta as suas conotações mais amplas de cultura e etnia. Em retrospetiva e após muita discussão, compreendemos que a sua utilização desta forma não podia deixar de causar uma dor significativa. Não era nossa intenção fazê-lo, mas fizemo-lo.

Também não compreendíamos o significado do sangue no judaísmo ou o conceito de "difamação de sangue". A imagem de crânios ensanguentados a pingar de uma torneira despertou uma memória profunda e terrível em muitos judeus. Não conhecíamos a história do libelo de sangue. E não reflectimos sobre a forma como a imagem das torneiras ecoaria o Holocausto.

Aprendemos muito nos últimos dias e estamos empenhados em continuar a aprender. Tivemos uma reunião aberta e produtiva com os líderes da comunidade judaica de Buffalo e esperamos ter mais. Os judeus do Oeste de Nova Iorque são parte integrante da nossa região; valorizamos a sua presença, os seus contributos e a sua amizade. Lamentamos ter causado tanta dor.

O Buffalo News baixa as calças e pede desculpa à comunidade judaica por causa de uma caricatura

Humor em apuros, uma coleção de casos (III)
Casos de cartoonistas que se viram em apuros de alguma importância devido aos seus cartoons ou ilustrações satíricas. Há também algumas histórias de outras pessoas que, sem serem cartoonistas, se meteram em sarilhos por as partilharem.


Suscríbete por email para recibir las viñetas y los artículos completos y sin publicidad

Artículos relacionados

Campeões

Genocídio lento

O cais

Este blog se aloja en LucusHost

LucusHost, el mejor hosting