Mão-de-obra

 
  • ES
  • RU
  • CN
  • DE
  • FR
  • EN
  • Labour force

    TR cartoon: “Pagar mais é uma solução “simplista” e “demagógica” para a escassez de força de trabalho”

    Mão-de-obra. 29/05/2022 em CTXT

    Há alguns anos que não passa uma semana sem muitas supostas notícias, algumas delas baseadas nas opiniões da comunidade empresarial, nas quais se afirma que o pessoal não quer trabalhar e que, portanto não consegue encontrar pessoas para se juntarem à sua força de trabalho. Fala-se muito sobre a hospitalidadefala-se muito sobre isso, mas vem de diferentes estilos de vida.

    Mão-de-obra

    Manchete: “As empresas não estão a encontrar trabalhadores com tolerância ao stress, disciplina e compromisso”

    Mão-de-obra

    se não os conseguem encontrar, como é que sabem que não têm essas competências? Vamos ver se os eufemismos usados para PUTEAR não são os correctos…

    El mercado laboral es un estercolero

    Manchete: Os jovens já não querem ser pedreiros: faltam 700.000, há desemprego, mas “eles não querem suar”..

    El mercado laboral es un estercolero

    Manchete: Os bares não conseguem encontrar empregados de mesa: “em algumas áreas é difícil contratar pessoas”

    El mercado laboral es un estercolero

    Manchete: Crise da pesca: os jovens já não querem colher no mar.

    El mercado laboral es un estercolero

    Manchete: Os prisioneiros são a solução para a escassez de mão-de-obra?

    Mão-de-obra

    Sim, esta questão é real e está a ser colocada por um suposto meio de comunicação social. Vou evitar comentar mais sobre isto para evitar incorrer em vários delitos.

    Mão-de-obra

    TR cartoon: A exploração laboral cria riqueza

    Esta semana foi a vez do presidente do Cepyme, Gerardo Cuerva, que assegura que é uma solução “simplista” e que pague mais é uma solução “simplista” e “demagógica” para a falta de mão-de-obra e, como é habitual, culpa todas as decisões do Governo

    De acordo com esta andoba, o governo é o único responsável pelo facto de as empresas espanholas estarem em pior situação do que as de outros países europeus. Agora, de um dia para o outro, acontece que estamos em pior situação do que a Alemanha porque, como todos sabemos, ontem fomos líderes mundiais em termos de salários e de emprego de qualidade.

    O presidente do Cepyme deve argumentar a sua conclusão mais do que simplista e demagógica com a questão da formação. Não está claro para mim exactamente o que ele está a reivindicar. Talvez ele esteja a tentar afastar-se do pensamento neoliberal e queira que o governo entregue trabalhadores formados num acto de submissão à intervenção pública na esfera privada.


    Suscríbete por email para recibir las viñetas y los artículos completos y sin publicidad

    Artículos relacionados