Querétaro-Atlas, o inferno da violência no futebol

 
 
Querétaro-Atlas, o inferno da violência no futebol

Como se não houvesse violência “legítima” suficiente no mundo, uma batalha entre Querétaro e os clubes de adeptos do Atlas no Estádio Corregidora no México durante a segunda parte da partida de sábado deixou pelo menos 26 lesionados e levou à suspensão da nona ronda da Liga.

Embora a versão oficial seja a de que ninguém foi morto, foram recolhidos testemunhos de pessoas que dizem não conseguir encontrar os seus conhecidos e que não foram capazes de os encontrar o de uma mulher que anunciou a um órgão de comunicação social que o seu amigo tinha morrido.

Seja como for, as imagens são chocantes. É tão terrível como inconcebível o grau de crueldade e crueldade dos ataques.

Agora, muitos criticam a postura tépida do presidente da liga mexicana, Mikel Arriola, porque se esperavam medidas fortes que visassem o desaparecimento das barras dos estádios

Os proprietários dos clubes também são destacados por não mostrarem qualquer intenção clara de erradicar estes bandos de criminosos dos estádios, neste caso verdadeiros assassinos.

Este triste acontecimento é a evolução “lógica” da escalada da violência no futebol mexicano, e também em outros países, que tem vindo a mostrar sinais preocupantes de uma perigosa “normalização” durante décadas.


Suscríbete por email para recibir las viñetas y los artículos completos y sin publicidad
Artículos relacionados