Espé, o cartoonista que foi despedido no seu primeiro dia de trabalho

 
 
Espé, o cartoonista que foi despedido no seu primeiro dia de trabalho

A primeira e última caricatura de Espé na nova secção do Tour de France do jornal L’Humanité.

O cartoonista francês “Espé” pode ter batido um recorde. Foi despedido logo após a sua primeira banda desenhada ter sido publicada numa secção que foi inaugurada pelo jornal.

Sébastien Portet (1974), que assina o seu nome como “Espé”, começou a sua primeira colaboração com o jornal francês e enviou esta piada ilustrando um texto do controverso antigo treinador de ciclismo, Antoine Vayer, que também foi despedido (não sei se foi por causa de algo no seu texto, pois não consegui encontrá-lo).

Vayer, responsável por um coluna vayer, responsável por uma coluna diária no Tour in L’Humanité, defendeu o desenho animado no Twitter, procurando por um certo relação com as caricaturas de Mohammed em Charlie Hebdo.

Na imagem, a caricaturista retratou semi-nua e em lingerie a ciclista reformada e modelo Marion Rousse, agora uma comentarista desportiva de ciclismo na televisão, entrevistando na cama Julian Alaphilippe, o seu actual parceiro, que aparece com a língua de fora, babando-se.

“Julian, pode responder às perguntas da France TV?”

“Sim, sim, sim!

Não há muitos vestígios de uma piada no texto. A verdade é que, como um desenho animado, parece-me ser um passeio de bolo e mais velho que uma floresta. Faz-nos lembrar aquelas piadas sujas, sem qualquer outro fundo, da era da descoberta que eram simples desculpas para desenhar pintos com as suas bolas, talvez ele quisesse fazer um renascimentodo género, quem sabe. Eu acho que ele nem sequer pensou nisso, e este tipo de coisas não correm bem com, digamos, os media em geral.

Marion Rousse ele comentou o seguinte o desenho animado com a sua caricatura no Twitter:

“Desiludido, L’Humanité está a piorar cada vez mais o seu nome fica cada vez pior. Não é preciso ter o mínimo respeito pelas mulheres, pelas mulheres, para levar seis anos de análise desportiva na televisão a este nível”.

Na sequência da controvérsia, o jornal pediu desculpas aos leitores a partir do seu site para o desenho animado como “degradante e sexista” e anunciou que iria deixar cair os dois contribuintes.

“Decidimos deixar de trabalhar com o cartoonista Espé e o colunista Antoine Vayer, uma parceria que estabelecemos inicialmente para a duração do Tour de France. A razão é o desenho animado degradante e sexista assinado por Espé, dirigido à analista de televisão francesa e ciclista Marion Rousse, reduzida a um objecto sexual entrevistando um concorrente do Tour, Julian Alaphilippe, que revelou ser o seu parceiro sentimental”.

No Twitter eles também pediram desculpa à Marion Roussse.

“Partilhamos totalmente a indignação por causa deste desenho animado. Nós removemo-lo rapidamente. É contrário aos valores da L’Humanité, que promove a dignidade humana e a luta feminista. Marion Rousse, por favor perdoa-nos por esta falta de vigilância”.

O cartoonista também ela disse o cartoonista também pediu desculpas à AFP sobre a mudança:

“Eu estou triste, triste, triste. O jornal pediu desculpa, o desenho foi apagado e eu já não trabalho para a L’Humanité. O meu objectivo não era magoar, não havia qualquer intenção maliciosa, era apenas uma caricatura…. Quando um desenho não é compreendido, é um erro, mas eu nunca teria pensado que poderia atingir estas proporções”.

Espé também disse;“Eu queria evocar a porosidade entre os media e o desporto (?) e queria ser inspirado pelos desenhos de Tex Avery “. É possível que Espé tenha achado a piada ou a suposta crítica engraçada na sua cabeça, mas tudo indica que foi algo que só ele viu ou não soube como resolver. Seja como for, foi uma tentativa de brincadeira e os meios de comunicação social decidiram tomar a estrada alta. O autor não é um recém-chegado, ele tem sido a partir dos anos 90 no mundo dos quadrinhos, embora a sua estreia no humor gráfico já possa ser catalogada como pouco menos do que um alfinete de mesa.

Espé, o cartoonista que foi despedido no seu primeiro dia de trabalho

Humor em apuros, uma colecção de casos (III)
Casos de cartunistas que tiveram problemas de alguma importância devido às suas caricaturas ou ilustrações satíricas. Há também algumas histórias de outras pessoas que, sem serem caricaturistas, se meteram em problemas para as partilhar.


Suscríbete por email para recibir las viñetas y los artículos completos y sin publicidad
Artículos relacionados

Este blog se aloja en LucusHost

LucusHost, el mejor hosting

Grandes personan que patrocinan.

Patreon

Recibe contenido extra y adelantos desde sólo un dolarcito al mes como ya hacen estos amables lectores:

César D. Rodas - Jorge Zamuz - David Jubete Rafa Morata - Sasha Pardo - Ángel Mentor - Jorge Ariño - Vlad SabouPedro - Álvaro RGV - Araq